Filmando o Som - Walter Goulart


Disponível nos planos:

Edição: Luiz Guimarães De Castro

Empresa(s) produtora(s): Saruê Filmes

Câmera: Ángel Dí­az

Produção Executiva: Érica de Freitas

Assistente de Produção: Éthel Oliveira, Rafael Rios Siqueira, Shênia Mineiro Martins

Finalização: Luiz Guimarães De Castro

Pesquisa: Fábio Andrade

Direção de Fotografia: Ángel Dí­ez

Mixagem: Damião Lopez

Montagem: Luiz Guimarães De Castro

Entrevistados: Walter Goulart

Argumento: Fábio Andrade

Decano dos técnicos de som do cinema brasileiro, ele iniciou sua carreira no estúdio de som Rivatoncomo foley, passando em seguida a dominar as diferentes funções da pós-produção sonora, indo da captação à mixagem. Tornou-se o braço direito de Carlos De La Riva na Tecnisom e posteriormente na Delarte, passando aos sets ao fazer o som direto de O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro (1968), o que o transformou de imediato no maior nome da função ao longo da história. Foi responsável pelo som de mais de 200 títulos entre curtas e longas, com destaque para títulos como O Anjo Nasceu (1968), Macunaíma (1970), São Bernardo (1971), Guerra Conjugal (1975), Dona Flor e seus Dois Maridos (1976), Cabaré Mineiro (1984), Egungun (1985), Deus é um fogo (1987) e Castelar e Nelson Dantas no País dos Generais (2007) entre outros. Foi importante ativista sindical e professor de Técnica de Som em inúmeras oficinas e escolas.

Envie o seu comentário

Faça login ou se cadastre para comentar a obra.

Carregar mais comentários

Envie o seu comentário

Após aprovação, seu comentário será publicado e enviado para o diretor do filme. | Normas para publicação

Etapa/Nível de Ensino: Ensino Médio

Área de Ensino: Linguagens

Componente Curricular/Disciplina: Arte


Relatos de Professores (0)
Utilizou este filme em suas aulas? Relate sua experiência!
50 min
2017
Brasil
RJ
LIVRE

Séries: A Linguagem do Cinema - 2ª Temporada | 11 Episódios de 51 Minutos

Diretor: Geraldo Sarno

Sinopse: Decano dos técnicos de som do cinema brasileiro, ele iniciou sua carreira no estúdio de som Rivatoncomo foley, passando em seguida a dominar as diferentes funções da pós-produção sonora, indo da captação à mixagem. Tornou-se o braço direito de Carlos De La Riva na Tecnisom e posteriormente na Delarte, passando aos sets ao fazer o som direto de O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro (1968), o que o transformou de imediato no maior nome da função ao longo da história. Foi responsável pelo som de mais de 200 títulos entre curtas e longas, com destaque para títulos como O Anjo Nasceu (1968), Macunaíma (1970), São Bernardo (1971), Guerra Conjugal (1975), Dona Flor e seus Dois Maridos (1976), Cabaré Mineiro (1984), Egungun (1985), Deus é um fogo (1987) e Castelar e Nelson Dantas no País dos Generais (2007) entre outros. Foi importante ativista sindical e professor de Técnica de Som em inúmeras oficinas e escolas.

Alugue