Urbanidades?


Disponível nos planos:

Empresa(s) produtora(s): Caliban Produções Cinematográficas

A poesia da vida cotidiana, os caminhos do transporte público, a moradia, o lazer. Um registro da curiosidade dos fotógrafos sobre as particularidades da vida de cada cidade. Um olhar artístico além do estereótipo da mídia. Quantos segredos as paredes destruídas de uma cidade em transformação levaram? Quantos momentos de amor, dor, alegria e tristeza a demolição de casas apagou? Quem sabe uma simples curva teria evitado a transferência de uma comunidade e impedido que o processo civilizatório se construísse sem nenhuma urbanidade? As fotografias que vemos aqui registram a mecânica predatória da transformação urbana. Também vemos a arte que grafita a cidade e dá uma nova feição ao que antes era só concreto. Muros e paredes dialogam com os habitantes. O que antes era considerado poluição é agora arte.

Envie o seu comentário

Faça login ou se cadastre para comentar a obra.

Carregar mais comentários

Envie o seu comentário

Após aprovação, seu comentário será publicado e enviado para o diretor do filme. | Normas para publicação

Etapa/Nível de Ensino: Ensino Médio

Área de Ensino: Linguagens

Componente Curricular/Disciplina: Arte


Relatos de Professores (0)
Utilizou este filme em suas aulas? Relate sua experiência!
28 min
2017
Brasil
RJ
LIVRE

Séries: Caçadores da Alma | 13 Episódios de 26 Minutos

Diretor: Silvio Tendler

Elenco: AF Rodrigues, Alex Urch, Alexandre Orion, Américo Vermelho, André Penteado, Clarissa Pivetta, Claudia Jaguaribe, Dario de Dominics, Felipe Varanda, Fernando Naiberg, Jetmir Idrizi, João Velloso, Luiz Baltar, Marco Terranova, Martha Cooper, Mirian Fichtner, Rafão Diniz, Vitor Dragonetti, Wilton Jr.

Sinopse: A poesia da vida cotidiana, os caminhos do transporte público, a moradia, o lazer. Um registro da curiosidade dos fotógrafos sobre as particularidades da vida de cada cidade. Um olhar artístico além do estereótipo da mídia. Quantos segredos as paredes destruídas de uma cidade em transformação levaram? Quantos momentos de amor, dor, alegria e tristeza a demolição de casas apagou? Quem sabe uma simples curva teria evitado a transferência de uma comunidade e impedido que o processo civilizatório se construísse sem nenhuma urbanidade? As fotografias que vemos aqui registram a mecânica predatória da transformação urbana. Também vemos a arte que grafita a cidade e dá uma nova feição ao que antes era só concreto. Muros e paredes dialogam com os habitantes. O que antes era considerado poluição é agora arte.

Alugue