A Fita Branca

Disponível nos planos:

Empresa(s) produtora(s): Folamour

Envie o seu comentário

Faça login ou se cadastre para comentar a obra.

Carregar mais comentários

Envie o seu comentário

Após aprovação, seu comentário será publicado e enviado para o diretor do filme. | Normas para publicação

Etapa/Nível de Ensino: Ensino Médio

Área de Ensino: Linguagens

Componente Curricular/Disciplina: Arte


Relatos de Professores (0)
Utilizou este filme em suas aulas? Relate sua experiência!
52 min
2013
França
12 ANOS

Séries: Filmes que Marcaram Época | 31 Episódios de 52 Minutos

Diretor: Vassili Silovic

Sinopse: "A Fita Branca" é o décimo longa-metragem do diretor austríaco Michael Haneke, lançado em 2009. Em 1913, em uma aldeia alemã, mergulhada em uma rigorosa tradição luterana, estranhos incidentes assumem gradualmente o caráter de um ritual dirigido contra as autoridades. O professor, que está investigando, conclui que são as crianças da aldeia que castigam aqueles que traem as ideias que eles pregam. Eles vão formar a geração que vai levar Hitler ao poder. Feito em preto e branco, "A Fita Branca" recebeu a Palma de Ouro no Festival de Cannes em 2009. Com o subtítulo de "uma história alemã para crianças", o filme mostra a violência educacional praticada na Alemanha no início do século XX e como isto carregava as sementes do nazismo. Transporta "os alemães à sua própria história", mas também os austríacos, cujo líder populista Jorg Haider, que morreu em 2008, era um antissemita que costumava elogiar Hitler. "Minha ideia era buscar as causas de qualquer terrorismo, direita ou esquerda, religioso ou político, incluindo o desenfreado de hoje em dia", disse o cineasta sobre o filme. Mesmo com um filme de época, "A Fita Branca" é uma parábola do mundo moderno. Nascido em Munique, em 1942, Michael Haneke tem lidado com duas carreiras em paralelo, diretor de teatro e ópera e diretor de televisão. Ele começou a dirigir longas-metragens aos 47 anos, em 1989 com "O Sétimo Continente". A maioria de seus filmes são uma crítica ao mundo da comunicação e do entretenimento, que tanto tentam banalizar a violência. Em 2001, "A Professora de Piano" dá a Haneke o Grande Prêmio do Júri no Festival de Cannes. Em 2005, "Caché" recebe o Prêmio de Direção, também em Cannes, antes da Palma de Ouro dupla em 2009 por "A Fita Branca" e em 2012 por "Amor".

Alugue