Éramos Todos Loucos


Disponível no:

Produção: Julio Carvana, Martha Alencar

Roteiro: Julio Carvana, Pedro Carvana e Rita Carvana

Edição: Rita Carvana

Som Direto: Ricardo Alonso

Empresa(s) produtora(s): Mac Comunicação e Produção Ltda.

Câmera: Daniel Xavier

Assistente de Câmera: Julia Argalgi

Produção Executiva: Julio Carvana

Direção de Fotografia: Nonato Estrela

Os expoentes de uma geração “desbundada” assistem e comentam, 40 anos depois, o filme manifesto mais oblíquo, suingado e debochado dentre vários outros que essa geração produziu contra a falsa moral e bons costumes do autoritarismo vigente. “Vai trabalhar vagabundo” criou para o censores da época uma dificuldade a mais ao censurar uma expressão da alma carioca encarnada no genial personagem Secundino Meireles, o Dino , eternizado na interpretação de Hugo Carvana. O ator formado na chanchada é também diretor estreante e realiza um filme emblemático que representa o renascimento da comédia carioca, como seus amigos contam nos depoimentos, trazendo descontração em tempos sisudos, assim como fez na sua vida e no trabalho, durante as filmagens de 1972.
Envie o seu comentário
Faça login ou se cadastre para comentar a obra.
Carregar mais comentários
Envie o seu comentário
Após aprovação, seu comentário será publicado e enviado para o diretor do filme. | Normas para publicação

Aplicabilidades Pedagógicas



Etapa/Nível de Ensino: Ensino Médio

Área de Ensino: Ciências Humanas, Linguagens

Componente Curricular/Disciplina: Arte, História, Sociologia


Relatos de Professores



Utilizou este filme em suas aulas? Relate sua experiência!


Relatos de Professores (0)

Testes de Conhecimentos


Você é Educador? Crie o primeiro teste de conhecimentos para este filme! Criar Teste

49 min
2014
Brasil
RJ
14 ANOS

Diretor: Pedro CarvanaRita Carvana

Sinopse: Os expoentes de uma geração “desbundada” assistem e comentam, 40 anos depois, o filme manifesto mais oblíquo, suingado e debochado dentre vários outros que essa geração produziu contra a falsa moral e bons costumes do autoritarismo vigente. “Vai trabalhar vagabundo” criou para o censores da época uma dificuldade a mais ao censurar uma expressão da alma carioca encarnada no genial personagem Secundino Meireles, o Dino , eternizado na interpretação de Hugo Carvana. O ator formado na chanchada é também diretor estreante e realiza um filme emblemático que representa o renascimento da comédia carioca, como seus amigos contam nos depoimentos, trazendo descontração em tempos sisudos, assim como fez na sua vida e no trabalho, durante as filmagens de 1972.

Alugue