Moscou


Disponível nos planos:

Empresa(s) produtora(s): VideoFilmes

Em Moscou, Eduardo Coutinho acompanha o Grupo Galpão, dirigido por Enrique Diaz, durante os ensaios da peça As Três Irmãs, de Tchekhov, por um período de três semanas. Ao propor a ideia ao Galpão - os atores só saberiam qual o texto no primeiro dia de filmagem - Coutinho deixou claro que o interesse maior era a experiência do processo e não o resultado final. O filme é composto de fragmentos dos workshops, improvisações e ensaios de uma peça que não teve e nem teria estreia. A peça "As Três Irmãs" conta a história de Olga, Macha e Irina que, sem perspectivas com a vida levada na província, sonham em voltar para Moscou. É um drama sobre pessoas comuns, que vivem presas a um passado idealizado e a um futuro improvável, sem a capacidade de viver o presente.

Envie o seu comentário

Faça login ou se cadastre para comentar a obra.

Carregar mais comentários

Envie o seu comentário

Após aprovação, seu comentário será publicado e enviado para o diretor do filme. | Normas para publicação

Relatos de Professores (0)
Utilizou este filme em suas aulas? Relate sua experiência!
77 min
2009
Brasil
LIVRE

Diretor: Eduardo Coutinho

Elenco: Antonio Edson, Bel Garcia, Chico Pelúcio, Eduardo Moreira, Enrique Díaz, Fernanda Viana, Inês Peixoto, Paulo André, Rodolfo Vaz, Teuda Bara

Sinopse: Em Moscou, Eduardo Coutinho acompanha o Grupo Galpão, dirigido por Enrique Diaz, durante os ensaios da peça As Três Irmãs, de Tchekhov, por um período de três semanas. Ao propor a ideia ao Galpão - os atores só saberiam qual o texto no primeiro dia de filmagem - Coutinho deixou claro que o interesse maior era a experiência do processo e não o resultado final. O filme é composto de fragmentos dos workshops, improvisações e ensaios de uma peça que não teve e nem teria estreia. A peça "As Três Irmãs" conta a história de Olga, Macha e Irina que, sem perspectivas com a vida levada na província, sonham em voltar para Moscou. É um drama sobre pessoas comuns, que vivem presas a um passado idealizado e a um futuro improvável, sem a capacidade de viver o presente.

Alugue